Hanseníase

Dois mil anos já se passaram (segundo alguns relatos e estudos, porque sempre há controvérsia nesse caso) desde que Jesus habitou a Terra. Discussões à parte (e até nem pretendemos entrar na área religiosa), Jesus conseguiu dividir a humanidade em dois momentos, antes e depois de vir ao mundo. Sendo assim, temos Antes de Cristo, AC, e Depois de Cristo, DC.
Então, imagine: 20 séculos são bastante tempo, tomando como referência a expectativa de vida de um ser humano, que varia de 40 a 90 anos, dependendo do lugar onde vive e do estilo de vida. E imagine ainda se voltarmos mais tempo no passado do que vinte séculos.
Todo esse contexto é necessário para que você entenda como a doença de que iremos falar nesse artigo é antiga. A doença já foi documentada muito antes de Jesus, e na época de Jesus era famosa, tanto que muitos dos milagres de cura foram realizados em que pessoas com essa doença.
Estamos falando da Hanseníase, nome atual da doença que já recebeu outras denominações, que carregavam preconceito e medo. Hanseníase é o modo correto de se referir à lepra. Mas como ela conseguiu atravessar vários períodos da humanidade, sobrevivendo durante todo esse tempo? Descubra a seguir, lendo o artigo que preparamos para você.

A Hanseníase é causada por um microorganismo, sendo por isso infecciosa (que pode ser passada de pessoa para pessoa). Por isso, muitas pessoas ficam com medo de entrar em contato com pessoas portadoras da doença por medo de serem contaminadas.
A Organização Mundial da Saúde já esclareceu que a transmissão da Hanseníase é feita por meio da respiração. No entanto, vale ficar atento aos detalhes: assim que o tratamento é iniciado, a doença deixa de ser transmissível. Ou seja: se a pessoa descobriu que é portadora de Hanseníase, depois do início do tratamento pode voltar ao convívio familiar, sendo apta até para executar sua profissão.
Vale lembrar que a maior parte dos adultos são resistentes ao microorganismo que causa a Hanseníase. Por isso, infelizmente os casos atingem mais as crianças, que são infectadas quando há algum adulto contaminado por perto.

Os médicos costumam dizer que a Hanseníase possui um período de incubação longo. Isso significa que pode demorar para que a doença comece a causar problemas à pessoa. Por isso é importante consultar regularmente um médico e – em caso de qualquer suspeita – ir urgente ao hospital.
Por último, mas não menos importante, é bom que todos saibam que a Hanseníase possui cura. Antigamente (basta lembrar-se dos exemplos que conhecemos pela Bíblia), os portadores de Hanseníase eram segregados da sociedade, vivendo excluídos da família e da vida social da cidade. Atualmente, o tratamento pode ser feito em casa, durando de seis meses a um ano.
Dra Rafaela Salvato, dermatologista em Florianópolis SC – Hanseníase
X

Dra. Rafaela Salvato

Dermatologista em Florianópolis

Filiada ao Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina CREMESC sob n° 14.282, ao Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo CREMESP sob o n° 133.312 e registro de especialista (RQE) sob n° 10.934.

Especialização em Laser e procedimentos estéticos pela Harvard Medical School, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da América, sob supervisão do Prof. Dr. Richard Rox Anderson...

Saiba mais

Clínica

Dermatologista em Florianópolis

Dermatologia Estética
Dermatologia Clínica
Laser

(48) 3225-4033

VISITE O SITE

Av Trompowsky, 291 Salas 403 e 404 – Torre 1
Medical Tower – Trompowsky Corporate
Centro – Florianópolis
Santa Catarina – Brasil