Arquivo da tag: Laser de Co2

Harvard Medical School

Inovações sobre Laser de CO2, Laser de Melasma, Laser para remoção de tatuagens, dentre outros. A dermatologista, Dra Rafaela Salvato, esteve na última semana em uma atualização em lasers e procedimentos estéticos da Universidade de HARVARD (EUA), coordenado pelo brilhante Prof Dr Rox Anderson, um dos inventores do laser de CO2 fracionado e do laser para remoção de pêlos. Nas próximas semanas, confira todas as novidades sobre laser, em nosso site rafaelasalvato.com.br

Rafaela Salvato dermatologista harvard university

Queimaduras

A queimadura é uma lesão cutânea geralmente causada por fatores térmicos (calor ou frio em excesso), elétricos, químicos ou por radiação. Dependendo do grau, extensão ou localização, essa lesão pode destruir uma ou mais camadas da pele, deixando marcas temporárias ou permanentes. Dependendo do tempo de exposição a esses fatores, pode desfigurar a região ou até mesmo levar à morte.
Todo cuidado é pouco para evitar o risco de queimaduras, porém, não podendo evitar o acidente, existem alguns cuidados essenciais na hora de prestar socorro e cuidar da pele danificada.
Graus de queimaduras
A Sociedade Brasileira de Queimadura não classifica mais o acometimento da pele lesionada em graus, porém, por ser uma forma didática, vamos utilizar essa classificação. As queimaduras podem ser classificadas em queimaduras de 1º, 2º e 3º grau.

Queimaduras de 1º grau

As queimaduras de 1º grau são leves e atingem somente a camada superficial da pele (epiderme). Não há formação de bolhas e a pele fica avermelhada, dolorida e com leve ardência. O exemplo mais comum desse tipo de queimadura é a queimadura solar, causada principalmente pela exposição em excesso ao sol, sem uso de proteção.
O que fazer?

Faça compressas com água fria para resfriar o local. Use óleo mineral ou vaselina líquida para manter a pele hidratada e facilitar a troca de curativos. Se houver muita dor, podem ser administrados analgésicos. O uso de filtro solar é essencial para evitar manchas.
Queimaduras de 2º grau
As queimaduras de 2º grau atingem a epiderme e a porção superficial da derme. A pele, além de ficar avermelhada e dolorida, também costuma apresentar bolhas aparentes.
O que fazer?
A limpeza com água corrente imediatamente após o acidente ajuda a amenizar os sintomas e a minimizar os danos. Procure um atendimento médico o quanto antes para realizar uma avaliação correta e curativos adequados. Se houver aparecimento de bolhas, não rompa, aguarde atendimento médico. Use filtro solar após a reepitelização da pele para evitar manchas. Ingerir muita água ajuda na cicatrização, mantendo os tecidos hidratados.

Queimaduras de 3º grau

As queimaduras de 3º grau são mais profundas, atingindo também o tecido gorduroso, nervos e até ossos, dependendo da gravidade. Diferente do que se pensa, a dor é bem menor, podendo ser inclusive indolor, pois foram destruídas as terminações nervosas de sensibilidade da pele. Por outro lado, a pele fica seca, enrugada, dura, esbranquiçada ou escurecida.

O que fazer?

Muitas vezes há necessidade de internação, pois as complicações podem incluir desequilíbrio de íons, desidratação, necrose, infecção e necessidade de enxerto. Procure imediatamente um atendimento médico emergencial para que os devidos cuidados sejam iniciados.

Primeiros Socorros
Os primeiros socorros exigem atenção e agilidade. Ao se queimar ou ver alguém precisando de ajuda nesses casos, o melhor a fazer é seguir essas regras básicas para evitar complicações ou exposição ao perigo e buscar ajuda médica o mais rápido possível.
Fogo
Não retire a roupa aderida ao corpo, apenas recorte o excesso de pano ao redor e cubra a área afetada com gaze ou panos limpos, evitando assim maiores danos.

Produtos Químicos

Remova a substância da pele e das roupas e lave o ferimento com água corrente abundante.

Descargas Elétricas

Nunca toque diretamente a pessoa afetada sem certificar-se de que a corrente elétrica está desligada. Chame o serviço de emergência imediatamente, pois em alguns casos há necessidade de reanimação.
O que não fazer em casos de queimaduras?

– Não aplique gelo diretamente sobre a queimadura, evitando danos maiores na ferida.
– Não aplique qualquer produto sobre a queimadura, tais como pasta de dente, clara de ovo, manteiga, dentre outros. Qualquer substância que não seja a água pode infeccionar o local ou prejudicar a área afetada.
– Não perfure as bolhas, evitando deixar exposto o ferimento. As bolhas protegem a pele nos primeiros dias e ajudam na cicatrização.
Tratamento das Cicatrizes de queimaduras
Queimaduras mais profundas costumam deixar manchas e cicatrizes mesmo se forem tratadas adequadamente. Se isso acontecer, alguns tratamentos atuais podem suavizar os danos. A completa cicatrização da pele ocorre após seis meses do acidente. Por isso, é aconselhável aguardar esse período antes de iniciar os tratamentos.
Dermoabrasão
É feita uma esfoliação por meio de um equipamento que lixará a pele até a camada desejada, a fim de eliminar toda a extensão da cicatriz. O tempo de cicatrização pode variar entre 2 a 4 semanas, dependendo do organismo de cada paciente.

Laser fracionado ou Luz Intensa Pulsada

Ambos têm a função de tratar as camadas superficiais da pele, de acordo com a necessidade e a profundidade da cicatriz. A cicatrização pode variar entre 2 a 4 semanas e o número de sessões depende do tipo de cicatriz e da resposta individual de cada um.

Cirurgia Reparadora

Pode ser necessária a remoção da cicatriz e a aplicação de enxertos ou retalhos de pele, dando uma aparência mais estética e menos perceptível da lesão. Pode ser associada a outros tratamentos dérmicos para suavizar a cicatriz na pele.
Preenchimento com ácido hialurônico
Indicada para cicatrizes menores e deprimidas. São injetadas determinadas quantidades de ácido hialurônico de acordo com a necessidade. O ácido hialurônico é a substância mais indicada, pois, não tem risco de rejeição do organismo por ser uma substância encontrada entre as células. Esse ácido além de estimular a produção de colágeno, atrai água para as células, o que promove a restauração com uma hidratação profunda na região.
Blog Rafaela Salvato Dermatologia – Dermatologista na região da Grande Florianópolis – Queimaduras

Dermoabrasão

A técnica de dermoabrasão ou peeling mecânico, consiste num procedimento cirúrgico, abrasivo, que tem a finalidade de remover a camada superficial da pele, a fim de restaurar a sua homogeneidade, suavidade e elasticidade. É uma das técnicas mais antigas de rejuvenescimento facial, que hoje conta com uma gama tecnológica mais moderna e equipamentos que proporcionam resultados mais delicados e precisos.
Seus benefícios vão além do rejuvenescimento, amenizando rugas superficiais e linhas de expressão, como as notadas ao redor dos lábios. São indicadas para melhorar a aparência de cicatrizes de cirurgias e acidentes, além das cicatrizes profundas causadas pela acne.
Pode ser realizada em pequenas áreas ou sobre toda a face, bem como pode ser aplicada em outras áreas do corpo que necessitam de correção. Pode ainda ser associada a outros procedimentos para melhores resultados.

Indicações da Dermoabrasão:

As indicações são muitas e os resultados costumam ser notados já na primeira sessão. Dependendo do caso e da profundidade da imperfeição, podem ser necessárias mais de uma sessão para se alcançar os resultados esperados.
– Rejuvenescimento da pele
– Cicatrizes causadas pela acne
– Manchas
– Depressões na pele
– Rugas e linhas finas
– Estrias
– Lesões pré-cancerosas (queratoses)
– Rinofima (pele espessada no nariz)
– Vestígios de tatuagens
Contraindicações
– Pacientes com tendência a desenvolver cicatrizes hipertróficas ou quelóides
– Pacientes com herpes, acnes inflamadas ou qualquer outro tipo de infecção que esteja ativa na região a ser tratada
– Pacientes com distúrbios de coagulação
– Pacientes bronzeados ou com tom de pele mais escuro são mais suscetíveis a hiperpigmentação após o procedimento e geralmente o procedimento não é recomendado.

Como é realizada a dermoabrasão?
Após a identificação do objetivo do tratamento e orientação ao paciente sobre os cuidados prévios antes do procedimento,  é realizada uma anestesia deve ser feito com anestesia local, se a área for pequena. Se a área for maior ou para um maior conforto do paciente, podem ser realizados bloqueios anestésicos, que abrangem uma maior área.
A ação abrasiva pode ser feita manualmente ou com uso de aparelhos dermoabrasivos com lixas diamantadas, que são manuseadas pelo médico cirurgião ou pelo dermatologista. É feita a remoção por lixamento da primeira camada da pele, de maneira controlada, conforme definido com o paciente. As áreas mais comuns de tratamento são a testa, ao redor dos olhos, da boca e as bochechas.
Pode ser necessária mais de uma sessão para atingir o resultado esperado ou ainda ser associada a outros tratamentos para melhor eficácia do resultado, como preenchimento com ácido hialurônico em depressões, cicatrizes de acnes e rugas; ou o laser fracionado de CO2 que promove uma reorganização celular estimulando a produção de colágeno e elastina na região, contribuindo tanto com o rejuvenescimento como na suavização de manchas e cicatrizes.

Outros tipos de dermoabrasão

Microdermoabrasão ou Peeling de Cristal
É uma técnica moderna realizada com um aparelho que produz jatos de micro cristais de hidróxido de alumínio em alta pressão, promovendo uma esfoliação cutânea, com intensidades variáveis dependendo da necessidade de cada paciente. As indicações são as mesmas da dermoabrasão comum, porém pode ser aplicada em todos os tipos de pele.
Dermoabrasão a laser
Com o avanço da tecnologia na medicina estética, foi desenvolvido um laser com a função de promover uma esfoliação mais profunda, com o mesmo conceito de renovação celular da dermoabrasão, porém com menos efeitos colaterais. O laser de CO2 pode ser ablativo ou superficial e depende da profundidade a ser alcançada para atingir os resultados desejados. A indicações são as mesmas da dermoabrasão, mas o tempo de recuperação é menor, pois a lesão é fracionada, mantendo áreas sadias ao redor que colaboram para uma cicatrização mais rápida e eficiente. A técnica vaporiza a água das células promovendo uma reorganização do tecido, estimulando também a produção de colágeno, o que deixa a pele mais resistente e macia, suavizando não só as rugas, mas amenizando cicatrizes, manchas e estrias. As sessões duram em média 30 minutos ou menos, dependendo do tamanho da área a ser tratada. 
Podem ser necessárias outras sessões, com intervalo médio de um mês, dependendo do tempo de cicatrização que cada paciente desenvolve.

Cuidados após o procedimento de Dermoabrasão
– Após a cirurgia, a pele fica com aspecto mais claro, rosado e muito sensível. Com o passar dos dias a pele vai cicatrizando, formando crostas que se desprenderão quando a pele estiver renovada.
– A exposição solar é proibida por pelo menos 20 dias ou de acordo com o tempo de cicatrização de cada um, que pode variar entre 30 a 45 dias ou mais.
– O uso de protetor solar é essencial, com reaplicação a cada 2 horas.
– Podem ser indicados pomadas, cremes, sabonetes e cosméticos para hidratar e auxiliar na cicatrização da pele.
Quem pode realizar a dermoabrasão?
– A escolha do profissional que irá realizar a dermoabrasão deve ser cuidadosa. 
– Cuidado com profissionais não habilitados! O risco de deformações, manchas e cicatrizes pode ser grande se o procedimento for realizado por pessoas sem especialização e conhecimento na área.

Dra. Rafaela Salvato Dermatologista em Florianópolis SC – Dermoabrasão

Aumento de tratamentos de estética a laser em estações mais frias



Com a chegada das estações mais frias aumenta a procura por tratamentos de estética a laser aqui no consultório  de  Dermatologia!  E  realmente,  essa  é a melhor época para investir na beleza, pois as roupas do inverno permitem esconder a pele que fica mais vulnerável, mesmo com tratamentos pouco agressivos.

Procure-nos para saber mais sobre os tratamentos a laser para redução de manchas na pele, estrias, entre outros.


Obtenha mais informações pelos nossos canais de comunicação digital.

X

Dra. Rafaela Salvato

Dermatologista em Florianópolis

Filiada ao Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina CREMESC sob n° 14.282, ao Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo CREMESP sob o n° 133.312 e registro de especialista (RQE) sob n° 10.934.

Especialização em Laser e procedimentos estéticos pela Harvard Medical School, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da América, sob supervisão do Prof. Dr. Richard Rox Anderson...

Saiba mais

Clínica

Dermatologista em Florianópolis

Dermatologia Estética
Dermatologia Clínica
Laser

(48) 3225-4033

VISITE O SITE

Av Trompowsky, 291 Salas 403 e 404 – Torre 1
Medical Tower – Trompowsky Corporate
Centro – Florianópolis
Santa Catarina – Brasil